Logo ABORL-CCF

Ronco na Infância

A partir de um ano, roncos relacionados a adenoides ou amígdalas grandes começam a surgir. Muitas vezes os pais referem que a criança “ronca que nem adulto”, todas as noites, mesmo quando não está resfriada. Junto com o ronco costuma vir uma noite mal dormida, em que a criança se bate na cama e roda para todos os lados, algumas vezes também acordando com frequência no meio da noite.

O ronco acontece porque a adenoide aumentada diminui consideravelmente o espaço para a passagem do ar atrás do nariz. A criança faz mais força para puxar o ar, isso gera a vibração dos tecidos das vias aéreas, causando o barulho do ronco. Outra consequência é a criança abrir a boca para facilitar a respiração, levando-a a babar bastante (sialorreia noturna) e acordar com a garganta ressecada e incomodando.

O ronco acontece porque a adenoide aumentada diminui consideravelmente o espaço para a passagem do ar atrás do nariz. A criança faz mais força para puxar o ar, isso gera a vibração dos tecidos das vias aéreas, causando o barulho do ronco. Outra consequência é a criança abrir a boca para facilitar a respiração, levando-a a babar bastante (sialorreia noturna) e acordar com a garganta ressecada e incomodando.

Outro fator relacionado ao ronco infantil e apneia do sono é a rinite alérgica. Ela causa um inchaço na mucosa nasal, sinusites de repetição e respiração oral, dificultando a respiração correta.

Nascemos e somos programados para usar o nariz para respirar. Se a criança começar a usar a boca para respirar e roncar enquanto dorme, observamos o surgimento de problemas como mau hálito, infecções de garganta repetidas, rouquidão, piora de refluxo gastro esofágico, deformidades craniofacial.

Sempre que houver ruídos respiratórios, roncos e apneias na criança, os pais devem procurar ajuda médica para que seja realizado o diagnóstico e o correto tratamento do problema.

No site há uma explicação mais detalhada sobre Renite Alérgica, Amígdalas e Adenoide.