Logo ABORL-CCF

Mau Hálito (Halitose)

Definição

Halitose ou mau hálito representa uma situação onde são liberados odores desagradáveis pela boca ou por outras cavidades aéreas como nariz, seios paranasais e faringe.

O mau hálito não é uma doença, mas sim um sintoma de que algo está errado com seu organismo.

Consequências

A simples presença de mau hálito, apesar de não ter grandes repercussões clínicas para a pessoa, pode, na maioria das vezes, provocar sérios prejuízos psicossociais. Os mais comumente relatados são a insegurança ao se aproximar das pessoas, a depressão, dificuldade em estabelecer relações amorosas, resistência ao sorriso, ansiedade, e baixo desempenho profissional, quando o contato com outras pessoas é necessário. Além disso, a presença da halitose pode indicar a existência de doenças que requerem diagnóstico e tratamento o mais rápido possível.

Causas

As causas da halitose/mau hálito podem ser inúmeras, podemos dividir em:

Problemas otorrinolaringológicos, como:

  • Sinusites;
  • Rinites;
  • Adenoidites;
  • Amigdalites;
  • Caseum, pequenas bolinhas brancas que saem das amígdalas com odor desagradável. São o acúmulo de restos alimentares em decomposição.
  • Presença de corpos estranhos nas narinas;

Problemas acometendo a cavidade oral, como:

  •  Alterações na língua;
  •  Próteses dentárias mal cuidadas;
  •  Cáries dentárias;
  •  Má higiene oral;

Problemas de saúde geral, como:

  • Diabetes;
  • Alterações intestinais, pulmonares, de estômago, rins ou fígado.

Outras causas podem ser:

  • Jejum prolongado;
  • Boca seca;
  • Desidratação;
  • Alguns medicamentos específicos;
  • Tabagismo;
  • Estresse psicológico.

 

Sintomas

O sintoma de boca seca pode indicar halitose, mas geralmente as pessoas não conseguem sentir seu próprio mau hálito. Por isso, pessoas com quem você tem intimidade e confia são os mais indicados para te alertar deste problema.

 

Tratamento

O mau hálito, como já mencionado, não é uma doença, mas sim um importante sintoma de que algo de errado pode estar acontecendo com o seu organismo. O tratamento varia de acordo com a causa diagnosticada.

Alguns dos tratamentos otorrinolaringológicos são:

  • Nos casos de AMIGDALITE: As amígdalas podem ser causadoras do mau hálito devido a secreção purulenta, exsudato inflamatório e necrose tecidual. Outro importante fator que causa a halitose é o Caseum, pequenas bolinhas brancas que saem de dentro das amígdalas com odor desagradável, e são o acúmulo de restos alimentares em decomposição. O seu tratamento envolve medidas de higiene oral com bochechos e gargarejos, vaporização das criptas (criptólise) a laser dependendo da posição e do tamanho das criptas, e até mesmo amigdalectomia em alguns casos.
  • Nos casos de RINITES, SINUSITES, TUMORES NASOSSINUSAIS: As bactérias que causam a halitose utilizam o muco como fonte de alimento. A obstrução nasal presente nesses quadros leva à respiração oral, a qual tem efeito de ressecamento da cavidade oral, o que provoca aumento da descamação da mucosa bucal, aumenta a viscosidade da saliva e se forma a saburra lingual, responsável pela produção de odorivetores presentes no ar expirado criando um ambiente propício à halitose.

 

Recomendações

* Beba bastante água, pelo menos dois litros por dia, para manter a boca sempre umedecida;

* Evite permanecer muitas horas sem alimentar-se; o jejum prolongado favorece o aparecimento da halitose;

* Capriche na higiene bucal. Quando escovar os dentes, use também o fio dental e passe a escova com delicadeza especialmente na região posterior da língua;

Caso o sintoma persista, procure ajuda médica.